sábado, 28 de dezembro de 2013

O vegetarianismo

É considerado pelos seus seguidores uma opção válida e consciente, mas o elevado grau de ignorância da maioria das pessoas relativamente a esta matéria é a origem de um sem número de equívocos e informações incorrectas. Convém dar a conhecer os alicerces de suporte desta opção de vida, cada vez mais actual e necessária.
O termo vegetarianismo, vem do latim vegetare que significa dar vida ou animar e consiste num regime alimentar no qual não se consome nenhum tipo de carne, quer seja vermelha ou branca, peixe ou marisco. Divide-se em três grupos distintos:
  • lacto-ovo-vegetarianismo – regime alimentar que exclui a carne e o peixe, mas que permite a ingestão de ovos, de leite e dos seus derivados. É o mais comum, por isso é muitas vezes abreviado para vegetarianismo.
  • lacto-vegetarianismo – igual ao interior, mas que exclui o consumo de ovos.
  • vegetarianismo puro, ou veganismo — exclui carne, peixe, ou produtos que impliquem a exploração animal como os ovos, o leite, os seus derivados e o mel. Os vegans não utilizam vestuário de lã ou couro, cosméticos testados em animais e suplementos alimentares com derivados animais.
A alimentação comum envolve muitos outros alimentos que não as carnes, portanto desenganem quem julga que um vegetariano é apenas um comedor de saladas. A maioria dos vegetarianos são gourmets exigentes, que têm prazer em saborear uma refeição, tal como qualquer outra pessoa e que consomem todo tipo de pratos, incluindo sobremesas e doces, desde que não contenham proteínas animais.
Existem vários argumentos a favor do vegetarianismo, como: o respeito pelos animais, a preservação do meio ambiente, a preocupação com a saúde humana, a fisiologia digestiva do homem e a eficiência económica.
Ética
Os animais são seres vivos distintos dos outros por terem um sistema nervoso, mais ou menos desenvolvido, que lhes permite experimentar o sofrimento. São sensíveis e capazes de sentir dor, física ou psicológica. Sendo nós seres sensíveis e interessados em permanecer vivos, em liberdade e sem sofrer, temos de concluir que o mesmo se passa com os animais. Sejam insectos, moluscos, peixes, anfíbios, répteis, aves ou mamíferos. Assim, a obrigação ética mais elementar passa por respeitar o seu direito a vida, a existência em liberdade e bem-estar físico, com consequente perpetuação da sua vida. Esta perspectiva moral é a pedra angular do movimento vegetariano e segundo os seus seguidores deveria ser mais do que suficiente para a adopção deste regime alimentar.
Ecologia
Não é preciso ser um especialista para saber que o equilíbrio ecológico do planeta é condição primordial a sobrevivência de todos os seres vivos que nele habitam. Nós, humanos, somos responsáveis pela sua preservação, pois as nossas acções influenciam directamente este equilíbrio. Tal responsabilidade, adquire ainda maior relevância se considerarmos que das nossas opções depende não só a nossa sobrevivência, mas também a dos animais.
Sabemos que a pecuária, não só a industrial mas também a biológica, é uma das actividades com major impacto no ambiente. Implica consumo de grandes quantidades de água potável, ocupação de vastas áreas de terreno para o cultivo de cereais, gasto de combustíveis fosseis e utilização massiva de pesticidas e drogas. Daqui, resulta a erosão do solo, a escassez e contaminação dos lençóis de água, a destruição das florestas tropicais e a desertificação de extensas áreas da superfície terrestre.
Passemos a um exemplo prático, todos os anos cada vez mais campos de cultivo são instalados em solos inicialmente cobertos por floresta tropical. Ao contrário do que se pode pensar, o constante desflorestamento da Amazónia deve-se sobretudo a criação de campos de cultivo de soja para alimentar gado de palres desenvolvidos ou para construir pasto para o gado brasileiro. As madeireiras, a abertura de estradas e a ocupação desordenada, tem apenas papéis secundários nesta destruição.
QUEM OPTA PELO VEGETARIANISMO DEVE SABER:
  • Proteínas
    Não é necessária a ingestão de produtos de origem animal para a obtenção de proteínas completas, ricas em aminoácidos essenciais. A conjugação de duas proteínas vegetais, uma cereal e outra leguminosa, como o arroz e o feijão, são suficientes para fornecer os aminoácidos necessários. Alguns vegetais como a soja contêm teores proteicos superiores aos da carne. Outras fontes de proteína incluem produtos derivados da soja, substitutos da carne, lentilhas, frutos de casca rija, sementes, alimentos integrais e leguminosas.
  • Ferro
    O ferro não existe apenas na carne, mas também em vários legumes (em especial nos de folha verde escura, como os espinafres), nos cereais e nas leguminosas. Para ajudar o organismo a absorver ferro, consuma alimentos ricos em vitamina c (morangos, citrinos, tomates, couve e brócolos) e outros ricos em ferro. Está comprovada que a incidência de anemia por deficiência de ferro é semelhante em vegetarianos e não vegetarianos.
  • Cálcio
    Os lacto-ovo-vegetarianos têm uma ingestão de cálcio igual ou superior a dos não-vegetarianos, mas o mesmo não se passa com os vegan.

    A ingestão de álcool, café, açucares, alimentos com elevado teor de proteína animal e lacticínios provocam acidificação do organismo. Na presença de demasiado ácido, o organismo utiliza o cálcio para Neutralizar o PH, gastando grande parte do mineral ingerido através da alimentação. É certo, que um vegan parece ter menor necessidade de cálcio, porque a sua alimentação pobre em proteínas totais é também mais alcalina. Neste caso, o cálcio ingerido não tendo necessidade de ser utilizado como tampão, é totalmente absorvido pelos ossos, satisfazendo as necessidades do organismo. Os legumes de folha verde como os brócolos e as couves são ricos em cálcio. O tofu, os sumos de fruta e o leite de soja enriquecidos com cálcio são alternativas saudáveis.
  • Vitamina B12
    Poucos alimentos vegetais contêm vitamina B12, na maioria destes casos estamos na presença de forma inactiva, incapaz de ser absorvida. Este é o único caso em que um vegan deve recorrer a um suplemento alimentar, os restantes vegetarianos podem encontrar a vitamina nos ovos e nos lacticínios. Os alimentos de uma dieta vegetariana são na sua maioria facilmente digeríveis. Isentos de toxinas, antibióticos e hormonas.

    O vegetarianismo permite a ingestão de elevados teores de vitamina C, A, E, beta-carateno, magnésio e fibras, limitando o colesterol e a gordura saturada e contribuindo para a redução doenças relacionadas com a alimentação.
De salientar, que a desflorestação implica não só a erosão dos solos (perda de nutrientes e de agua) como a diminuição drástica da biodiversidade vegetal e animal. Tal desencadeia uma série de mecanismos que culminam no aumento da temperatura global, responsável pela ocorrência de desastres naturais.
A indústria pesqueira também contribui para o desequilíbrio ecológico. Os navios pesqueiros poluem rios e oceanos e contribuem para a destruição dos sistemas marinhos, pelos peixes que capturam. Esta actividade está a eliminar a uma velocidade alarmante os stocks marinhos. Por exemplo, há vários anos que os especialistas alertam para o facto das populações de bacalhau, não conseguirem recuperar da pesca intensiva, correndo sério risco de extinção.
A pesca ocasional e a captura de tartarugas, golfinhos, focas, leões-marinhos, tubarões e pequenos cetáceos, animais com reconhecida importância no equilíbrio dos mares, põe em risco a sua função reguladora. A actividade pesqueira polui as águas onde estas espécies vivem e interfere nos seus ciclos de vida, sendo responsável pela redução drástica das suas fontes de alimento, reduzindo o seu número de efectivos e a estabilidade dos ecossistemas marinhos.
No vegetarianismo opta-se por não consumir produtos animais, por motivos éticos filosóficos, ecológicos, religiosos, de saúde ou de bem-estar.
Saúde
Um dos muitos problemas inerentes ao consumo de carne é a sua toxicidade. Os animais podem acumular contaminantes químicos, numa concentração 14 vezes superior a verificada nos alimentos de origem vegetal. Basta lembrar que são alimentados com rações enriquecidas com hormonas e antibióticos. Ao serem abatidos sob anestesia e em situações de stress, libertam adrenalina em excesso, contaminando ainda mais a carne. Estes aditivos quando em contacto com o nosso organismo, podem originar doenças nos sistemas imunitárias e reprodutor.
Povos adeptos de uma dieta rica em produtos animais são mais susceptíveis de desenvolverem doenças como o cancro da mama, da próstata ou do cólon. Verificando-se ainda colesterol elevado, hipertensão, ataques cardíacos, obesidade, osteoporose, artrite, diabetes, asma, pedra nos rins e impotência. As culturas asiáticas, nas quais a ingestão de carne é mais restrita, apresentam uma menor probabilidade da ocorrência destes problemas.
Economia
A opção pelo vegetarianismo pode ser uma solução para muitos dos problemas económicos que afectam o planeta terra. Estudos brasileiros apontam que em cada segundo, uma área florestal do tamanho de um campo de futebol é utilizada na produção de apenas 257 hamburguers de vaca. Um boi precisa em media 3,5 hectares de terra para produzir 200 kg de carne, num período de quatro a cinco anos. Estima-se que na mesma área seja possível produzir, consoante o tipo de cultura, cerca de: 19 toneladas de arroz; 32 de soja, 34 de milho, 23 de trigo e 8 de feijão, se pensarmos numa colheita anual, sendo que nesta região são comuns duas a três colheitas por ano. Da mesma forma, os animais consomem ao longo da vida o valor correspondente a quatro vezes a produção mundial de cereais destinada ao consumo humano, alimentando depois aqueles que os podem pagar, enquanto cerca de 815 milhões de pessoas, no mundo inteiro, passam fome. Assim, o facto da procura mundial de cereais exceder em muito os limites da sua produção e uma consequência directa do consumo de carne.
Na produção de uma dieta carnívora utilizam-se 48 m litros de água por dia, 2400 litros diários seriam o suficiente para a produção de uma alimentação vegetariana.
A produção de carne é menos saudável e também muito menos eficiente, quando comparada com a de vegetais. Em media, para cada refeição de carne produzida são usados os recursos naturais que poderiam servir para produzir 10 refeições vegetarianas.
Quando a fome no mundo e o aumento da rentabilidade dos recursos terrestres se tomam cada vez mais sérios, a alimentação vegetariana surge como uma dieta rentável que pode contribuir para uma franca melhoria da situação.
Fisiologia
Os humanos são omnívoros, podem alimentar-se de todo o tipo de alimentos, mas possuem características digestivas fisiológicas mais próximas dos herbívoros, que dos carnívoros. Exemplo disso é a presença de uma dentição com grande número de dentes incisivos e molares e um tracto digestivo longo, adaptado a digestão de legumes, frutas e cereais e em menor grau a digestão de proteínas animais. Estas tem tendência a acumular-se sob a forma de resíduos tóxicos no intestino, contribuindo para o aparecimento de doenças.
As espécies carnívoras exibem dentes caninos encurvados e um tubo digestivo curto, no sentido de favorecer a rápida digestão, o processamento e a eliminação da carne antes que ela entre em decomposição no organismo.
Esta vantagem fisiológica confere ao homem o poder de escolha, no que respeita a alimentação. Sabendo que todos os alimentos são potencialmente digeríveis pelo nosso sistema digestivo, resta a cada um de nós escolher o que come de acordo a sua consciência.
Aquele que opta pelo vegetarianismo opta também por um princípio natural de não-violência, que visa o respeito por si mesmo, pelo ambiente e pela vida universal.
Artigo reproduzido de "Revista Sentidos" de Celeiro Dieta (www.celeiro-dieta.pt) com autorização.








terça-feira, 21 de maio de 2013

O simulador de caminhada funciona?



Sim!!!!!  O aparelho é uma ótima opção para quem busca uma atividade aeróbica (que emagrece) para fazer em casa. Além da segurança do ambiente, fazer ginástica em casa é prático. Você pode malhar a qualquer hora do dia, faça chuva ou faça sol. "O simulador de caminhada substitui a tradicional caminhada na esteira ou ao ar livre. Queima calorias e trabalha a musculatura das pernas e braços", diz o consultor de fitness Almeris Armiliato. 
Além disso, os fabricantes defendem a vantagem do baixo impacto que o aparelho provocaria, evitando assim lesões nas articulações. E é verdade. 

A caminhada já é uma atividade de pouco impacto, mas realizada no aparelho, o benefício é ainda maior.

A principal dúvida dos leitores é: 

O simulador de caminhadas ajuda a emagrecer?
Decidí escrever pois tenho experimentado e sei que Com certeza ajuda! Qualquer atividade onde se consiga manter a frequência cardíaca (FC) elevada (mais do que 65% FC máxima), ininterruptamente, por um tempo superior à 20 ~ 30 minutos otimiza – se o gasto calórico e portanto ajuda a emagrecer. 
Se a FC se mantiver entre 65% e 75% da máxima, otimiza-se a utilização de lipídios (gordura)  como substrato energético, mas lembre-se que emagrecer é uma questão matemática, é preciso gastar mais do que ingere!
Vantagens do Simulador de Caminhada
A principal vantagem do simulador de caminhada é o preço, muito mais barato do que uma esteira.
Outras vantagens apontadas são as mesmas de outros equipamentos aeróbios, exercitar-se sem sair de casa, longe do sol, do frio, da violência urbana, sem hora marcada, no conforto do seu lar.
É isso ai, gente...
Eu uso e recomendo o simulador de caminhadas, mas é preciso fazer diariamente. Eu faço pelo menos 30 min. diariamente e confesso ... Já estou até tomando gosto.
Uma dica legal é ao invés de marcar os minutos no relógio (que parecem horas), colocar em frente a TV e praticar durante um programa que vc assista .
 Isso mesmo, você faz o exercício vendo o Jornal ou a novela  e termina o exercícios quando seu programa acaba. 
Comigo tem sido um grande aliado e garanto 
funciona!

Um abraço e muita força na peruca á  todos vcs 

Marisa Isac



quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Transtornos alimentares - síndrome do comer noturno

síndrome do comer noturno



O que é:
As pessoas com a síndrome do comer noturno "atacam" a geladeira durante a noite. De acordo com Ellen Simone Paiva, médica e diretora-clínica do Citen (Centro Integrado de Terapia Nutricional), esses pacientes têm dificuldades para atingir o peso ideal e fazer um planejamento alimentar, passam o dia sem comer e exageram durante a noite.

As "orgias alimentares" geralmente ocorrem na calada da noite, longe do olhar de censura de outras pessoas, e são acompanhadas por uma sensação subjetiva de perda de controle, seguida de culpa.

Diagnóstico:
Os pacientes com síndrome do comer noturno geralmente comem mais de 55% das calorias totais de um dia entre 8h e 6h da manhã;
Eles podem acordar várias vezes durante a noite só para comer;

Apresentam uma piora do humor durante a noite.

Tratamento:
A síndrome do comer noturno é uma combinação única de um transtorno alimentar, um transtorno do sono e um transtorno do humor. Embora não exista um tratamento específico, alguns medicamentos podem ser utilizados para ajudar no controle do comer noturno e nos sintomas depressivos que podem estar presentes.

A melhor alternativa é procurar psiquiatras, nutricionistas e psicólogos.

Onde buscar ajuda:

Ambulim (Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Hospital das Clínicas da USP)
Endereço eletrônico: http://www.ambulim.org.br

Grupo de apoio a pacientes com transtornos alimentares da Universidade do Grande ABC
Informações: (11) 4458-2578

Centro de Atendimento e Apoio ao Adolescente
Informações: (11) 5576-4360 ou (11) 5579-7387

Proata (Programa de orientação e assistência aos pacientes com transtornos alimentares)
Informações: (11) 5579-1543
E-mail: proata@psiquiatria.epm.br

Citen (Centro Integrado de Terapia Nutricional)
Informações: (11) 5579-1561
Endereço eletrônico; www.citen.com.br


Fonte :  Redação Terra

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Domando seu estresse

 Domando seu estresse





Estresse é uma reação  normal e saudável do nosso organismo, é ele que nos prepara para situações de luta ou fuga, sendo portanto, de importância vital para nossa sobrevivência.

  Usando um exemplo clássico, se você estivesse na rua e alguém gritasse: , com certeza seu corpo dispararia uma série de reações químicas, liberando uma descarga de adrenalina e nor-adrenalina, aceleraria seus batimentos cardíacos e sua frequência respiratória, preparando seus músculos para a ação imediata, permitindo que você escalasse o primeiro muro à vista, e só depois parasse para pensar como conseguiu subir lá.

Passado o susto, você desceria do muro, suas pernas tremeriam, seu coração e sua respiração se regularizariam e tudo voltaria ao normal. O homem das cavernas já vivia o estresse no seu dia a dia, na sua luta pela sobrevivência. Este estresse é positivo e desejável!

O que ocorre hoje em dia é que o estresse é desencadeado muito mais por situações emocionais do que físicas, são situações de disputas no trabalho, incertezas quanto à sobrevivência material, corrida contra o tempo, excesso de responsabilidade, demandas cada vez maiores em todas as áreas de nossas vidas, que nos levam a este estado crônico de estresse, não permitindo o desarme do mesmo. Isto gera o estresse negativo, que é a perpetuação do estado de estresse, este sim, extremamente perigoso pois acaba por alterar o organismo como um todo.

O estresse pode ser gerado tanto por situações familiares quanto por problemas e demandas no trabalho ou estudo, sendo bastante comum encontrarmos um somatório dos dois. Pode ser encontrado em todos os segmentos da sociedade, uma vez que a luta pela sobrevivência diária é muito dura nas classes menos privilegiadas e extremamente exigente na classes mais altas.

Aparece no universo infantil com o excesso de tarefas e atividades impostas às crianças, nos idosos extremamente estressados com a baixa renda da aposentadoria, e com as exigências cada vez maiores da vida atual, pode-se praticamente afirmar que quase todos os adultos apresentam algum grau de estresse negativo.

É bastante comum a pessoa estressada buscar mecanismos de escape como comer alimentos gordurosos e/ou calóricos, ingerir bebidas alcoólicas ou outras drogas na ânsia de relaxar, fumar excessivamente, mas todos essas “válvulas de escape” acabam se virando contra a pessoa, pois desequilibram ainda mais o organismo já debilitado pelo estresse. Elas podem inclusive agravar os sintomas, elevando a pressão sangüínea, aumentando os riscos cardiovasculares, trazendo conseqüências cada vez mais graves para a saúde do corpo, da mente, das emoções e do espírito.

Os sintomas iniciais do estresse são insônia, ansiedade, irritabilidade, resfriados e gripes repetitivos, e na seqüência podem aparecer gastrite e má digestão, queda de imunidade, alergias, elevação da pressão sangüínea, taxas de colesterol elevadas, aumento da gordura abdominal levando à várias outras desordens e síndromes.

É preciso uma atuação consciente de nossa parte para perceber estes sinais e procurar minimizá-los, pois o estresse cotidiano tende a permear todas as nossas atitudes. Quem não se percebeu andando rapidamente na rua mesmo sem necessidade de correr contra o relógio? Quem não devorou uma refeição sem ao menos se dar conta do que está fazendo? As emoções negativas dominam e o estresse negativo se instala! Toda emoção é química e como tal, altera a química do nosso organismo.

Como Modificar a qmica do Estresse

  • Sensibilizar as pessoas quanto às suas atitudes frente à vida, levá-las a perceber como interagem com os fatores estressores, o que costumam fazer que possa estar levando ao incremento do estresse e que transformações podem realizar em suas vidas para neutralizar e gerenciar da melhor forma possível o tão indesejado estresse negativo. 

  • O que estressa uma pessoa, necessariamente não estressa outra, ou seja, existe um fator absolutamente individual que dispara a reação de estresse e viabiliza a perpetuação deste estado. 
  • Estes fatores individuais podem ser identificados através da terapia ,  do autoconhecimento e minimizados através de   exercícios de relaxamento , meditação, fitoterapia, acupuntura auricular, massagens e terapia floral.

  • O somatório das técnicas  acima citadas permite alcançar o equilíbrio interno que possibilita uma transformação verdadeiramente surpreendente e duradoura, a pessoa se torna capaz de gerenciar seu estresse e mudar suas atitudes. 

  As indicações básicas para lidar com o estresse: 
  • investir em qualidade de vida, 
  • cuidar da alimentação , 
  •  praticar atividade física moderada, 
  • ter lazer,
  • desfrutar da companhia dos amigos,
  •  buscar o apoio da família, 
  • praticar alguma atividade social voluntária, 
  • Cultivar alguma crença espiritual, (ajuda a ter uma visão mais ampla das dificuldades ).

O mais importante é perceber-mos  que se não mudarmos nossas atitudes e nossos sentimentos, se não gerarmos uma química diferente, o ciclo do estresse se perpetua e começa a causar danos permanentes.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Gente light

Martha Medeiros: Gente light



Vou ao supermercado e observo o crescimento do setor de dietéticos. Abro revistas e me deparo com as exigencias de ter um corpo esbelto. 
As clínicas de cirurgia plástica estão com a agenda lotada de homens e mulheres esperando sua vez para lipoaspirar, contar, reduzir. 
A sociedade toda conspira a favor da magreza, e de certo modo isso é positivo, ser magro faz bem para a auto-estima e para a saúde. Mas não tenho visto ninguém estimular outro tipo de dieta igualmente necessária para o bem estar da população. 
Encontro suco light, chocolate light, iogurte light, mas pessoas light é raridade.
Muita gente se preocupa em ser magro, mas não se preocupa em ser leve. 
Tem criaturas aí pesando 48 quilos e é um chumbo. São aqueles que vivem se queixando. Possuem complexo de perseguição, acham que o planeta inteiro está contra eles.  
Não se dão conta de sua arrogância, possuem a certeza de que são a razão da existência do universo. Estão sempre dispostos a fazer uma piadinha maldosa, uma fofoquinha desabonadora sobre alguém. Ressintidos, puxam o tapete dos outros para se manter em pé. 
Não conseguem ver graça em nada, não relevam as chatices domuns do dia-a-dia, levam tudo demasiadamente a sério. são patrulhadores, censores, carregam as dores do mundo nas costas. Magrinhos, é verdade. Mas que gente pesada.
Ser minimalista todo mundo acha moderno, mas ser leve - cruzes! - parece pecado mortal. 

Os leves, segundo os pesados, não têm substância, não têm profundidade, não têm consciência intelectual: não são leves, e sim levianos. 
Os pesados não conseguem fechar o zíper das suas roupas de tanto preconceito saltando pra fora.
Não bastasse a carga tributária, a violência, a burocracia e a corrupção, ainda temos que enfrentar pessoas rudes, sem a menor vocação para se divertir. Diversão - segundo os pesados, mais uma vez - é algo alienante e sem serventia. 

Eles não entendem como alguém pode extrair prazer de coisas sérias como trabalho e família. Não entendem como é que tem gente que consegue viver sem armar barracos e criar problemas.
 

Eu proponho uma campanha de saúde pública: vamos ser mais bem-humorados, mais desarmados. Podemos ser cidadãos sérios e responsáveis e, ao mesmo tempo, leves. 

Basta agir com delicadeza, soltura, autenticidade, sem obediência cega às convenções, aos padrões, ao patrões. 
Um pouco mais de jogo de cintura, de criatividade, de respeito às escolhar alheias. Vamos deixar para sofrer pelo que é realmente trágico, e não por aquilo que é apenas um incômodo, senão fica impraticável atravessar os dias.

Dores de amor, falta de grana e angústias existenciais são contingências da vida, mas você não precisa soterrar os outros com seus lamentos e más vibrações. 


Sustente seu próprio fardo e esforce-se para aliviá-lo. 

Emagreça onde tem que emagrecer: no espírito, no humor. 


Martha Medeiros

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

É possível comer bem na correria do dia a dia

Não importa se você é estudante, secretária ou executiva, tem que conseguir um respiro para se alimentar de maneira saudável. Pedimos a duas nutricionistas que analisassem o perfil de três mulheres e fisesse uma análise. 

Aproveite as dicas!


Alimentação saudável

A correria da sua rotina não é uma desculpa para ser alimentar mal

Você estuda à noite, dorme tarde e raramente toma café da manhã? Florence também. Às vezes volta para casa tão cansada que falta ânimo para preparar o jantar? Acontece com a Lilian. Belisca guloseimas o dia todo e depois tenta pular a última refeição do dia para compensar? Igualzinho a Jang. A boa notícia: tem solução. As três garotas pagaram para ver. As nutricionistas Tânia Rodrigues, de São Paulo, e Andrea Santa Rosa Garcia, do Rio de Janeiro, sugeriram saídas para todas terem frutas no cardápio (mesmo morando sozinhas), comerem bem à noite, escaparem da tentação dos biscoitos... e inclusive liberaram uma ou outra escapada da dieta. Sim: saúde e disposição garantidas!

Florence Olivia Abrão, 21 anos, estudante de moda
"Moro com meus pais, estudo à noite e fico até tarde acordada fazendo trabalhos da faculdade. Resultado: acordo por volta da hora do almoço e pulo o café da manhã."

A nutricionista paulista Tânia Rodrigues, analisa:
"Florence, mesmo com horários malucos, é importante fazer, todos os dias, café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. O desjejum é uma refeição importante para estimular o metabolismo. Hormônios são produzidos e liberados de acordo com o horário do dia e o relógio biológico precisa de rotina! O mínimo necessário na primeira hora do dia é carboidrato (pão) e proteína (queijo). Além disso, o almoço tem que ser rico em vitaminas, minerais e fibras, importantes reguladores do nosso organismo. Você precisa acrescentar ao prato pelo menos um legume ou verdura. E não pode pular o lanche da tarde. Se comer uma fruta (devem ser no mínimo três por dia), pode manter um jantar leve. Note: suco pronto não contém vitaminas e fibras, ok? E sobre consumir pipoca e pizza, só é permitido às vezes. E se precisar apelar para restaurantes do tipo fast food, lembre que oferecem saladas."

Lilian Amado Marconato, 26 anos, oceanógrafa
"Moro com duas amigas e procuro ter uma alimentação equilibrada, mas não é fácil. Tomo café da manhã rápido, almoço no trabalho e chego tão cansada em casa que falta disposição para cozinhar. Acabo optando por algo rápido para jantar e o mais saudável possível."

A nutricionista paulista Tânia Rodrigues, analisa:
"Lilian, ok manter os lanches da manhã e da tarde, mas você precisa aumentar o consumo de legumes, folhas e frutas (elas precisam estar presentes em todos os desjejuns). A recomendação é de no mínimo três porções de cada um ao dia, para evitar muitas doenças - de resfriado a câncer. Um truque é ir ao supermercado semanalmente e trazer uma fruta média, como mamão ou manga, que serve duas porções, meio verde, para ser saboreada no meio da semana; uma ou duas mexericas maduras para consumo imediato e um melão (com 4 a 6 porções) para o fim de semana. Armazenar na geladeira ajuda a mantê-las frescas por mais tempo. O mesmo vale para hortaliças: folhas mais duras duram de três a cinco dias refrigeradas, e os legumes, até cinco dias. Parece que o seu jantar é feito com praticidade e rapidez. Minha sugestão: congele queijos e legumes. Assim, você enriquece sanduíches e omeletes. Quando a correria no trabalho aumentar e não der para beliscar algo à tarde, uma boa saída é ter uma barra de proteína na bolsa, pouco calórica e rica em nutrientes. Em tempo: soja é um alimento funcional, fonte de isoflavona, importante no controle da TPM. Porém, este suco à base de soja contém aproximadamente 1 grama do grão por 100 mililitros, muito aquém das recomendações para conseguir os benefícios".

Jang Hsin Hui, 31 anos, executiva de contas
"Tenho uma filhinha pequena e por isso malho bem cedo, três vezes por semana. Depois que o dia começa, a correria é grande. Almoço fora com o pessoal do trabalho, belisco besteiras durante a tarde e aí, para compensar, tento não jantar. Mas quem consegue? Acabo devorando, quase 11 da noite, mais guloseimas (como chocolate) para dar fim à sensação de barriga vazia."

A nutricionista carioca Andrea Santa Rosa Garcia analisa:
"Que tal trocar o iogurte por uma fruta antes de ir para academia? A digestão é mais rápida e você vai ganhar energia extra. No café da manhã é essencial inserir frutas e maneirar nos embutidos (eles possuem nitritos que podem gerar diabetes tipo 2 e também aumentam a pressão arterial, por serem cheios de sódio), substituindo por ovo caipira mexido, por exemplo. Os lanches podem ser outras boas oportunidades de comer frutas. Trazer uma maçã na bolsa é tão prático quanto comprar um biscoito na padaria, pode acreditar. E bem mais saudável. Barrinhas mais naturais como a de gergelim e linhaça também podem complementar essa refeição intermediária. Nas refeições principais é preciso aumentar a quantidade de fibras, preferindo arroz integral, e diminuir gordura saturada e trans (o excesso de frituras pode gerar problemas cardiovasculares). No jantar, uma alternativa prática é usar itens congelados e pré-lavados (como ervilha, brócolis...). Vale preparar uma sopa de legumes com um ovo cozido. Comendo certo você vai conseguir controlar a compulsão por guloseimas como chocolate. Tudo bem tomar três xícaras diárias de café. No entanto, dá para eliminar o açúcar? Finalmente, o chá de jasmim é uma mistura das flores frescas da flor com chá verde. O ideal é beber uma hora depois das grandes refeições para não atrapalhar a absorção dos nutrientes. Como contém cafeína, sugiro que ao entardecer opte por um chá mais calmante (passiflora, melissa, camomila). Na hora de escolher o que beber, prefira sempre suco natural, que possui vitaminas e antioxidantes."

Tassia dos Santos, 21 anos, estudante de estética e secretária particular
"Acordo às 5 da manhã para conseguir assistir à primeira aula. Ao meio-dia, começo a trabalhar e só paro lá pelas 9 da noite. Passo mais de 12 horas na rua! Vou jantar lá pelas 11 da noite..."
A nutricionista carioca Andrea Santa Rosa Garcia diz:
"Tassia, mesmo ficando tanto tempo longe de casa é possível adotar uma dieta mais saudável. Quer ver? Há no mercado sucos industrializados sem conservantes e corantes artificiais, e ricos em antioxidantes. Basta prestar atenção na caixinha. Dá para começar o dia com um copo dele junto com uma ou duas fatias de pão integral (no refinamento perde-se grande parte dos nutrientes como: complexo B, magnésio, fibras). O que colocar por cima? Pasta de tofu pronta, fonte de proteínas. É preciso lembrar que frutas são insubstituíveis. Procure comer uma porção já no lanche da manhã (elas podem ser secas), acrescentando oleaginosas (sem sal), ricas em selênio, mineral antioxidante. No seu almoço, faltam verduras e legumes, que podem ser temperados com azeite extravirgem (gordura do bem). No meio da tarde, que tal cortar os biscoitos pobres em nutrientes e ricos em gorduras saturadas? Melhor uma salada de frutas, cheia de vitaminas e minerais, e uma fonte de fibras, como um mix de farelos, para dar mais saciedade. No jantar, caso o único jeito seja apelar para sanduíche, prefira os de pão integral. Vale também omelete e uma batata cozida, sem se esquecer das verduras e dos legumes em geral. Um alerta final: não exagere nas frituras, o que pode causar doenças cardiovasculares no futuro."

Fonte :  Site M de mulher

Reportagem: Karina Hollo - Edição: MdeMulher

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Autoestima: você tem medo de ser melhor que os outros?








Vemos muitas pessoas que exploram muito pouco do seu potencial, que estão 
constantemente se contendo para não crescer e não se destacar. 

 Às vezes isso parece um excesso de humildade. Mas pode ser mesmo um ponto 
negativo na autoestima.
Vamos investigar o que pode estar por trás desse comportamento. 
O medo da  crítica tem uma grande influência nesse contexto. 

Pessoas que se destacam estão mais sujeitas a julgamento, obviamente, 
já que aparecem mais. Se cometem um erro, este será muito mais visível. 

E mesmo que não cometam erros, outras pessoas vão discordar dela. 

E é certo que algumas críticas serão negativas.
Mesmo que a pessoa seja bastante elogiada, é incrível como o ser humano é muito 
mais afetado pela crítica. É como se uma critica negativa tivesse um peso cem 
vezes maior que o de um elogio. Emocionalmente, as criticas costumam provocar
 sequelas bem maiores do que os benefícios provocados pelos elogios. 
A maioria das pessoas é capaz de dar a volta em vinte quarteirões só pra evitar ser criticada.
Outro aspecto a ser considerado é o medo de ser visto como arrogante, presunçoso,
pretensioso. Pessoas que aparecem mais, frequentemente serão julgadas dessa maneira.
Existe ainda o medo de fazer os outros se sentirem inferiores, um medo de ser 
melhor, se destacar e provocar desconforto nas outras pessoas. Além de tudo isso, 
quem é bom no que faz está sujeito a provocar inveja e despeito.
Juntando todos esses sentimentos, o que acontece é que as pessoas começam a 
se sabotar para não crescer e se destacar. Encolhem-se para não serem julgadas 
negativamente, para não sentir o desconforto de alguém discordar delas, para não 
fazer outras pessoas se sentirem menores, para não provocar inveja...
Quanto mais baixa a autoestima, mais a pessoa terá uma tendência a evitar o sucesso.
 Sentir-se inferior ou ter inveja de pessoas bem sucedidas, mais bonitas ou inteligentes 
é também sinal de pontos negativos na própria autoestima.
Recebi um texto de uma amiga (segundo fontes, é de autoria de Nelson Mandela no
 discurso de posse de 1994) que me levou a refletir e escrever sobre esse tema. 
Achei bastante interessante:
“Nosso medo mais profundo não é o de sermos inadequados.
Nosso medo mais profundo é o de sermos poderosos.
É nossa luz e não nossa escuridão que mais assusta.
Nós nos perguntamos quem sou eu para ser brilhante,
Atraente, talentoso, fabuloso?
Na verdade, quem é você para não ser?
Você é a criação do Espírito.
Você, pretendendo ser pequeno não serve ao mundo.
Não tem nada de iluminado no ato de se encolher para que
Os outros não se sintam inseguros ao seu redor.
E à medida que deixamos nossa luz brilhar, damos a permissão para os outros 
fazerem o mesmo.
À medida que nos libertamos de nosso medo, nossa presença libera do medo todas
 as outras pessoas.”
Veja como o medo de brilhar pode influenciar nosso comportamento. Tive uma
 cliente que era muito bonita. Ela se sentia muito mal quando era elogiada na frente
 de outras amigas que eram, digamos, menos favorecidas esteticamente pela natureza.
Imagine, então, ao invés de sentir-se bem com um elogio, a pessoa começa a fazer de
 tudo para evitá-lo a fim de não ficar numa situação desconfortável. Sendo assim, vai 
acabar evitando sair com algumas pessoas, gerando isolamento e pode até mesmo se
 sabotar para ficar menos bonita.
Outra cliente me procurou por uma dificuldade em aprender a falar inglês. Entre 
outros bloqueios, ela descobriu que tinha medo de falar bem e se destacar para que
 outras pessoas não pensassem que ela estaria “se achando”. E conseguiu perceber
 que fazia o mesmo em outras situações.
Para se manter “confortável” emocionalmente a solução que a pessoa arranja é ser 
medíocre. Isso normalmente não é algo consciente, apenas parcialmente. A pessoa
 se mantém em um patamar baixo, aquém do seu potencial e, muitas vezes, não 
consegue entender a razão. Analise se você em determinadas situações tem esse 
medo de crescer. Eu já tive bastante, diminuiu muito aplicando EFT.
Esse tipo de medo pode influenciar nas mais diversas áreas: medo de melhorar 
financeiramente, medo de ficar mais bonito, de ter um cargo maior, de ter um 
casamento melhor que o das amigas, de ser um profissional conhecido, de falar 
bem uma língua, tocar um instrumento, dançar, cantar etc.
O interessante é que mesmo que você não cresça e que se mantenha pro resto da 
vida bem encolhidinho, jamais vai poder evitar a crítica. Todo mundo é criticado, 
não tem jeito. É melhor então ser criticado sendo bonito, inteligente, bem sucedido,
 feliz, saudável, cantando, dançando etc.
Tem uma parte do texto que eu gostaria de comentar:
“Você, pretendendo ser pequeno não serve ao mundo.
Não tem nada de iluminado no ato de se encolher para que
Os outros não se sintam inseguros ao seu redor.”
Qual é o seu objetivo? Você está aqui nesse planeta pra quê? Acredito que é para ser o 
mais feliz possível e para influenciar da melhor forma, o maior número de pessoas. 
Isso pode ser feito através do seu trabalho, das artes, das relações sociais
(ou tudo junto). Ser “pequeno” serve menos pra você e pro mundo. 
Melhor que você pense grande. Você tem mais é que “se achar” mesmo.
Tempos atrás quando comecei esse meu novo trabalho e passei a descobrir esse
 fantástico mundo do “eu posso, eu consigo, eu faço, vai dar certo...” formulei 
o seguinte objetivo com relação ao meu trabalho: influenciar, tocar de forma 
positiva, o maior número de pessoas que eu conseguir. E como fazer isso? Ajudando 
o maior número possível de pessoas a conhecer a EFT para que elas tenham a 
possibilidade de se libertar de traumas, medos, vícios, fobias, inseguranças, 
depressão, pessimismo, dores e mais um monte de lixo emocional.
E é por isso que tenho site na internet, comunidade no Orkut, newsletter, manual
 gratuito, cursos online e presenciais em várias cidades
 (DVDs e livro online em breve)... É tudo baseado nesse objetivo.
Cada vez mais, pretendo atender menos individualmente e fazer mais trabalhos 
em grupo (cursos e trabalhos terapêuticos). Assim consigo atingir mais pessoas. 
Prefiro atuar formando terapeutas e ensinando grupo de pessoas a aplicar EFT,
 assim consigo impactar muito mais gente. Creio que assim sou bem mais útil à 
sociedade e ainda ganho, por tabela, satisfação pessoal e financeira.
O objetivo é atingir milhares, que dizer, milhares não, milhões de pessoas em 
todas as parte do Brasil e onde quer que tenha alguém falando português no mundo. 
Português só? E se o material for traduzido para o espanhol e inglês? 
Pareceu muito pretensioso???
 Tem gente que vai pensar que eu estou “me achando”...


Autor : André Lima
Fonte : http://www.eftbr.com.br/artigo.asp?i=145




sábado, 2 de fevereiro de 2013

Transtornos alimentares

A cada ano mais e mais adolescentes e jovens do sexo feminino (95% dos casos) são vitimadas de graves transtornos do comportamento alimentar, que colocam sua vida em risco.
O mito e a procura do “corpo ideal” leva essas pessoas a fazerem “regimes” drásticos que desempenham papel fundamental no desencadeamento destes transtornos.

Anorexia Nervosa
Na anorexia a pessoa passa fome de propósito para emagrecer e mesmo estando muito magra continua vendo-se gorda, havendo uma distorção da forma de perceber o próprio corpo, com obsessão pela magreza. À medida que a anorexia se agrava, cessa a menstruação. A pessoa torna-se obcecada por dieta e desenvolve estranhos rituais alimentares. Pesa-se várias vezes ao dia, faz exercícios compulsivamente, mesmo quando está fraca, pesa os alimentos e mede os líquidos que vai ingerir com precisão. Conhece com precisão os valores calóricos dos alimentos.
A desnutrição pode lesar órgãos vitais, como coração e cérebro, a pressão arterial e a freqüência cardíaca diminuem, a tiróide passa a trabalhar menos, unhas e cabelos tornam-se quebradiços, a pele resseca, fica amarelada e recoberta por uma penugem chamada “lanugo”. O organismo reduz sua atividade para se proteger.
O tratamento é difícil , já que a anoréxica acha-se “gorda” e não doente e reluta em ganhar peso, pouco que seja. Muitas vezes precisam ser hospitalizadas a força. No hospital enganam as enfermeiras, fazendo exercícios físicos (abdominais, por exemplo) às escondidas.
A anorexia atinge cerca de 1% das adolescentes de 14- 18 anos.10-20% morrem por suicídio (associação com depressão), parada cardíaca ou inanição.
Bulimia Nervosa
Pessoas com bulimia ingerem grande quantidade de comida em um período curto de tempo (ataque de comer) habitualmente movidas pela ansiedade, sentindo-se culpadas, inadequadas, e depois eliminam o “excesso” através de jejuns prolongados ,vômitos, uso de laxantes ou diuréticos, prática obsessiva de exercícios ou um combinação destes métodos.
Muitas vezes é difícil detectar a bulimia. A pessoa come compulsivamente e desintoxica às escondidas e mantém um peso normal ou levemente acima. A vergonha e a sensação de só ela ter o problema faz com que se isole e mantenha a doença oculta por anos a fio. Por isso procuram ajuda por volta dos 30-40 anos, quando seus hábitos estão muito arraigados.
“Regimes” rigorosos entre os ataques de comer também são comuns.
A bulimia pode prejudicar seriamente o organismo da pessoa. Em raros casos há inclusive a ruptura do estômago. Os métodos compensatórios podem resultar em insuficiência cardíaca por déficit de sais minerais ,como potássio. O vômito pode provocar desgaste do esmalte dos dentes, a introdução dos dedos na garganta gera ulcerações nas mãos. Ocorre inflamação do esôfago e intumescimento das glândulas salivares, podendo ocorrer irregularidades menstruais e diminuição do interesse sexual.
Pessoas com bulimia podem ter problemas de dependência de drogas, álcool e de furto compulsivo (cleptomania). Muitas sofrem de outros problemas psicopatológicos como depressão (50-75%) e transtorno obsessivo-compulsivo. Tais problemas, associados a tendências impulsivas, aumentam o risco de comportamento suicida .
1 a 3% das jovens de 18 anos em diante são bulímicas.
Compulsão Alimentar
O comedor compulsivo apresenta as mesmas características do bulímico, sem as atividades compensatórias. A pessoa come indiscriminadamente sem fome, por ansiedade ,stress ou outra emoção negativa ou não, praticamente sem mastigar, ingerindo grande quantidade de comida em pouco tempo. Para de comer por cansaço ou por estar empanturrada. Após sente-se culpada, sem controle e com diminuição ainda maior da auto-estima. 2% da população geral comem compulsivamente. 30% das pessoas que fazem dieta tornam-se compulsivas. 25-50% das pessoas que procuram tratamento para emagrecer comem compulsivamente. A COMPULSÃO ALIMENTAR É O GRANDE VILÃO DAS PESSOAS QUE QUEREM EMAGRECER. SE ESTIVER PRESENTE, DEVERÁ SER TRATADA PRIORITARIAMENTE, POIS INVIABILIZA QUALQUER ABORDAGEM NUTRICIONAL, POR MAIS ADEQUADA QUE SEJA. QUANDO ANSIEDADE, DEPRESSÃO, SENTIMENTOS NEGATIVOS DE QUALQUER ORDEM ESTÃO PRESENTES NO COMPORTAMENTO ALIMENTAR, DEVERÃO SER IDENTIFICADOS E TRATADOS . MAIS QUE UMA DIETA, É NECESSÁRIA TODA UMA MUDANÇA NO ESTILO DE VIDA, QUE INCLUE ALTERAÇÃO NA RELAÇÃO DA PESSOA COM O ALIMENTO . COMO, QUANDO e PORQUE ESSAS PESSOAS COMEM.
CARACTERÍSTICAS DE COMPORTAMENTO DAS PESSOAS COM T.A.
Habitualmente pessoas com T.A . apresentam baixa auto-estima, sentimentos de desesperança e pavor de tornarem-se gordas. OS T.A. DESENVOLVEM-SE COMO UMA MANEIRA INADEQUADA DE LIDAR COM STRESS E ANSIEDADE.
A anoréxica, com freqüência é obediente e introvertida, perfeccionista, boa aluna e excelente atleta. Quase sempre obedece a vontade alheia e tem dificuldade para lidar com problemas típicos da adolescência. Controlar o peso, inicialmente, tem duas vantagens: levar ao controle do seu corpo e obter aprovação das outras pessoas. Com o tempo torna-se claro que tais pessoas estão descontroladas e perigosamente magras.
Pessoas com bulimia apresentam “ataque de comer” para diminuir a ansiedade e o stress. Com o exagero alimentar surgem a culpa e a depressão.
EMAGRECIMENTO
Claro que é importante e saudável uma jovem manter-se bonita e elegante! Porém o emagrecimento deve ser um meio e não um fim em si próprio! Quem come demais porque está ansiosa ou deprimida ou por qualquer outro fator psicológico e não por fome deve tratar o fator que a leva a comer mais. COMIDA NÃO É SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS EMOCIONAIS! DEIXAR DE COMER TAMBÉM NÃO! Emagrecimento deve supor saúde, bem estar e respeito ao biotipo e à individualidade de cada uma! É POSSIVEL SIM TER UM PESO QUE A DEIXE BONITA e ELEGANTE! PROCURE UM PESO VIÁVEL que lhe permita curtir a vida e não morrer por ele! SE VOCÊ COME OU DEIXA DE COMER POR ANSIEDADE TRATE ESSA ANSIEDADE!


Fonte :  http://www.tommaso.psc.br/site/terapia/psicoterapia_da_boa_forma/transtornos_alimentares/